ASSINE

Depois de uma semana, Temer volta ao Palácio do Planalto

Nesta quarta-feira, há expectativa de que o novo ministro do Trabalho seja definido

Publicado em 03/01/2018 às 12h36
Michel Temer. Crédito: José Cruz/Agência Brasil
Michel Temer. Crédito: José Cruz/Agência Brasil

O presidente voltou a despachar no nesta quarta-feira, apesar dos conselhos de ministros e médicos para que trabalhasse no , residência oficial, e reduzisse o ritmo de trabalho. Temer ficou uma semana longe do Planalto. Nesta quarta-feira, há expectativa de que o novo ministro do Trabalho seja definido, já que o governo desistiu de nomear Pedro Fernandes (PTB-MA). Temer não está mais com a sonda coletora de urina e toma antibiótico para se recuperar de infecção urinária.

Temer foi aconselhado por ministros mais próximos, como Eliseu Padilha e Carlos Marun, a permanecer hoje no Jaburu, mas surpreendeu os auxiliares a chegar ao Planalto. Temer está bem humorado, segundo ministros, e mais confortável sem a sonda, que retirou no final de semana.

Um auxiliar do peemedebista reconhece que parlamentares e assessores "abusaram" da agenda do presidente, e que ele ainda deveria repousar por mais tempo na residência oficial. Outro aliado diz que, voltando ao local comum de trabalho, Temer teria desobedecido a auxiliares e médicos.

-- Nós abusamos da agenda do presidente. Eu mesmo abusei muitas vezes. Para ele, é muito difícil dizer que não vai receber alguém, por esse passado parlamentar dele. Mas precisa descansar. Buscaremos uma rotina mais racional para ele -- diz esse auxiliar.

No final de semana, Temer retirou sonda coletora de urina, depois de três semanas. Ele toma antibióticos para combater infecção urinária. O presidente também teve febre.

Em 45 dias, do fim de outubro a meados de dezembro, o presidente foi operado por três vezes: uma cirurgia cardíaca, para colocação de três stents em artérias coronárias, com mais de 90% de obstrução; e duas urológicas. Desde o procedimento mais recente, para desobstruir a uretra no último dia 13, o peemedebista cancelou quatro viagens, seguindo recomendações médicas, e também se consultou duas vezes no posto médico do Planalto. Uma das excursões anuladas seria nesta sexta-feira, de oito dias para o sudeste asiático. Outra, à Restinga de Marambaia, no Rio, para a virada do ano.

A Gazeta integra o

Saiba mais
saude

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.