ASSINE

Operação militar de olho em aluguéis no interior do Espírito Santo

Sítios, casas e apartamentos nos municípios do interior capixaba estão sendo monitorados por força-tarefa após intervenção federal no RJ

Publicado em 22/02/2018 às 21h02
Reforço: comandantes da Polícia Militar no Sul do Estado estiveram na BR 101. Crédito: Beatriz Caliman
Reforço: comandantes da Polícia Militar no Sul do Estado estiveram na BR 101. Crédito: Beatriz Caliman

A força-tarefa da Operação Divisa Segura, que envolve 150 policiais no Estado do Espírito Santo, para evitar a entrada e a fuga criminosos durante a intervenção federal no Rio de Janeiro, também está de olho nos aluguéis de pessoas suspeitas nesta temporada. Sítios, casas e apartamentos nos municípios do interior capixaba estão sendo monitorados.

A operação começou nesta quinta-feira (22) no Estado e vai durar dois meses e meio, segundo o comandante geral da Polícia Militar, Nylton Rodrigues, em 198 quilômetros de divisa. A medida foi tomada após o Governo Federal anunciar a intervenção no estado fluminense com o objetivo de combater a violência crescente no Rio de Janeiro.

“Estamos aqui numa ação de precaução, atentos, atuando em oito pontos, em nossa divisa com o estado do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Estamos até mesmo monitorando a locação de sítios e apartamentos. Os moradores que virem pessoas suspeitas nos municípios podem informar ao 181. Por enquanto, nenhuma informação nos chegou de algum reflexo em nosso Estado e acredito que não vá chegar”, afirmou.

Ação da polícia em Bom Jesus do Norte. Crédito:  Divulgação | PM
Ação da polícia em Bom Jesus do Norte. Crédito: Divulgação | PM

Rodrigues esteve em coletiva, durante a tarde com outros comandantes do Sul do Estado, na BR 101, em Mimoso do Sul, município na divisa do Espírito Santo com o Rio de Janeiro. Para atuar nos oito pontos de divisa, além do contingente de policiais civis e militares, um helicóptero, três drones, cães farejadores em 40 viaturas estarão atuando no Estado.

No bloqueio da principal via de acesso ao Estado, a BR 101, carros, caminhões e motocicletas são parados pelos militares. Os casos suspeitos são encaminhados a um recuo ao lado do posto fiscal, que com o auxílio dos animais, a revista é feita no interior dos veículos.

De acordo com o comandante, os delitos encontrados durante as abordagens serão encaminhados à delegacia de Mimoso do Sul, que funcionará em regime especial de plantão. “A Polícia Civil está ativando a delegacia para continuar 24 horas para receber esta demanda”, afirmou Rodrigues.

OUTROS PONTOS

Em Presidente Kennedy, no Litoral Sul do Estado, a ES 060, conta com outro bloqueio de veículos. A via é usada com frequência por agricultores e capixabas, que trabalham no lado fluminense.

Divisa em Presidente Kennedy. Crédito: Beatriz Caliman
Divisa em Presidente Kennedy. Crédito: Beatriz Caliman

Já na Região do Caparaó, os municípios de Apiacá e Guaçuí também receberam o apoio dos militares. A ação no Estado pode perdurar mais do tempo previsto. “O Estado nunca sofreu nenhum tipo de reflexo da intervenção. Nosso planejamento inicial é de ficar aqui dois meses e meio. Após este período vamos avaliar se é necessário ou não. Se for necessário, vamos continuar”, afirmou o comandante.

espírito santo espírito santo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.