ASSINE

Falso dentista tem consultório fechado em Pedro Canário

Conselho Regional de Odontologia interditou consultório de um falso dentista no Centro do município. O suspeito não tem formação na área, mas tinha um alvará de funcionamento do consultório expedido pela Secretaria Municipal de Finanças

Publicado em 16/08/2018 às 12h20
Consultório onde falso dentista atendia os pacientes em Pedro Canário. Crédito: Divulgação
Consultório onde falso dentista atendia os pacientes em Pedro Canário. Crédito: Divulgação

Um idoso de 82 anos, que se identificava como dentista, teve seu consultório interditado, na manhã desta quarta-feira (15), no Centro de Pedro Canário, região Norte do Estado. A interdição aconteceu durante uma ação conjunta entre a Vigilância Sanitária Municipal e o Conselho Regional de Odontologia (CRO-ES). Apesar do suspeito não ter formação acadêmica na área, ele apresentou um alvará de funcionamento de consultório expedido pela Secretaria Municipal de Finanças.

De acordo com o fiscal do CRO-ES, Frank Morais, o conselho fez um monitoramento nas regiões Norte e Noroeste do Estado e encontrou quatro profissionais exercendo ilegalmente a profissão de dentista em Pedro Canário.

“Quando chegamos no primeiro consultório, o falso dentista atendia um paciente. Quando foi informado que o local seria interditado, ele disse que é dentista prático e que sabe que está errado em exercer a profissão, mas justificou que atua na área há muitos anos. Ele ainda mostrou um alvará de funcionamento do consultório, que foi expedido pela Secretaria Municipal de Finanças e contou que paga os impostos regularmente para o local funcionar”, explicou Morais.

O fiscal questionou como uma pessoa sem formação conseguiu um alvará para funcionamento do consultório. “Em 1966 uma lei regularizou a profissão. É obrigatório ser formado no curso superior de Odontologia para ser dentista. Quem não tem a formação não poderia conseguir um alvará como esse”, detalhou.

O dentista prático foi encaminhado para a Delegacia de Pedro Canário pela Polícia Militar, que foi chamada para atender a ocorrência. Em nota, a Polícia Civil informou que o conduzido “assinou um Termo Circunstanciado pelo Artigo 282 (exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista ou farmacêutico, sem autorização legal ou excedendo-lhe os limites) e foi liberado”.

A fiscalização continuou no município, mas os outros três consultórios ilegais estavam fechados. “Isso sempre acontece. Quando interditamos um consultório, os outros falsos dentistas ficam sabendo e fecham o consultório para não serem encontrados. Tem um deles que estava com placa indicando que é um consultório de dentista, mas agora a placa foi retirada”, contou Moraes.

A Prefeitura de Pedro Canário foi procurada pelo Gazeta Online para comentar porque foi expedido um alvará de funcionamento de consultório para uma pessoa que exerce ilegalmente a profissão de dentista, mas a reportagem não conseguiu contato.

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Pedro Canário

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.