ASSINE

Corpo encontrado em Aracruz pode ser de jovem que sumiu em Vitória

O jovem Willian Metzker Soares, de 28 anos, está desaparecido desde o dia 5 de junho, quando saiu de casa de moto, no bairro Jardim da Penha, em Vitória

Publicado em 26/06/2018 às 19h18
Servidor e universitário da Ufes Willian Metzker Soares, de 28 anos, sai de casa e desaparece em Vitória. Crédito: Reprodução/Facebook Ursula Ebani
Servidor e universitário da Ufes Willian Metzker Soares, de 28 anos, sai de casa e desaparece em Vitória. Crédito: Reprodução/Facebook Ursula Ebani

Um corpo encontrado nesta terça-feira (26), em Aracruz, no Norte do Estado, pode ser do estudante de Direito e servidor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Willian Metzker Soares, de 28 anos, que está desaparecido desde o dia 5 de junho, quando saiu de casa de moto, no bairro Jardim da Penha, em Vitória. 

Ao Gazeta Online, a noiva dele, Ursula Ebani, contou que a polícia entrou em contato com os familiares e informou que um corpo teria sido encontrado em Coqueiral de Aracruz. Ela afirmou que familiares de Willian possuem uma residência no município. O reconhecimento formal do corpo ainda deve ser feito pela família do estudante. 

Acionada pela reportagem, a Polícia Civil informou que o caso segue sob investigação da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Aracruz. "Mais informações não serão passadas para não atrapalhar a investigação".

A PC reforçou que denúncias que colaborem com o trabalho da polícia podem se feitas por meio do Disque-Denúncia 181. O sigilo e anonimato são garantidos.

O CASO

O estudante de Direito e servidor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Willian Metzker Soares, de 28 anos, está desaparecido após sair de casa de moto no dia 5 de junho, no bairro Jardim da Penha, Vitória. Ele levou apenas uma mochila. De acordo com familiares, ele faz tratamento psiquiátrico.

De acordo com a namorada dele, a universitária Ursula Ebani, de 29 anos, Willian sempre disse que tinha vontade de sair da casa em que mora com os pais. "Ele começou a trabalhar na Ufes em janeiro. Ele havia passado no último concurso. No trabalho, ninguém acreditou quando soube que ele havia sumido, porque disseram que ele estava com o comportamento normal naquele dia", comentou.

FEZ COMPRAS NO DIA QUE DESAPARECEU

Ursula detalhou que no dia em que sumiu, Willian havia se consultado com uma médica, que havia prescrito novas medicações para ele. O universitário chegou em casa se queixando com a mãe sobre os preços dos remédios, alegando que estava sem dinheiro. A mãe o acalmou e saiu para passear com o cachorro. Quando voltou, ele já não estava mais lá. "Rastreamos o cartão de crédito e vimos que ele comprou medicações no dia em que sumiu", afirmou.

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
aracruz vitória

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.