Pedreiro morre após cair de andaime em Marechal Floriano

Ele e um colega caíram de uma altura de aproximadamente 12 metros. Segundo os bombeiros, eles não usavam equipamentos de proteção individual

Publicado em 02/10/2020 às 18h11
Pedreiros caíram de uma altura de 12 metros . Crédito: Corpo de Bombeiros
Pedreiros caíram de uma altura de 12 metros . Crédito: Corpo de Bombeiros

Um pedreiro morreu e outro ficou ferido em um acidente na tarde desta quinta-feira (01) em Marechal Floriano, Região Serrana do Espírito Santo. Eles faziam o reboco na parede externa de um prédio, quando caíram de uma altura de 12 metros.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o caso aconteceu na Avenida Artur Hasse, no bairro Vila das Orquídeas, por volta das 14h30. O local fica em frente à sede do batalhão dos bombeiros. Ao ver o acidente, os militares correram para resgatar as vítimas. 

Um dos pedreiros, Bruno Pereira Deolindo, 21 anos, foi encontrado com dificuldades de respirar e sinais aparentes de fraturas. O outro pedreiro ferido, Romero Matos Lucindro, de 47 anos, foi resgatado sentindo dores na perna e braço esquerdo. Havia a suspeita de fraturas de fêmur e em um dos braços.

Equipes de resgate do Samu encaminharam as vítimas para o Hospital Dr Arthur Gerhardt, no município. Ambos foram transferidos para o Hospital Estadual de Urgência Emergência, em Vitória. Apesar disso, Bruno Pereira Deolindo não resistiu e morreu nesta sexta-feira (02).

Segundo os bombeiros, as vítimas estavam sem cinto de segurança, sem luvas ou capacetes. O subcomandante do batalhão do Corpo de Bombeiros, major Uliana, fez um alerta para o uso de equipamentos de segurança no trabalho.

“Este tipo de acidente é muito comum na Grande Vitória. Não obstante, com o crescimento das cidades do interior agora também começam a acontecer aqui. Quase sempre a causa do acidente é a falta de equipamentos obrigatórios ou a negligência em usá-los”, disse o subcomandante.

Os bombeiros também informaram que o cabo de aço usado pelos trabalhadores aparentemente não foi rompido. Eles acreditam que a estrutura do andaime deslizou. O pedreiro que sobreviveu disse aos militares que o acidente aconteceu no momento em que eles realizavam a manobra de descida do andaime.

Segundo a Polícia Civil, o local passou por perícia e o caso está em investigação. 

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.