ASSINE

Petrobras e chinesa definem parceria para Comperj e campos de Marlim

Projeto prevê estudos de viabilidade e parceria para finalizar as obras da refinaria

Publicado em 16/10/2018 às 09h04
Prédio da Petrobras. Crédito: Divulgação
Prédio da Petrobras. Crédito: Divulgação

A Petrobras assinou com a CNODC, subsidiária da chinesa CNPC, um acordo para desenvolver estudos de viabilidade para avaliação técnica do atual estado do Complexo petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). Além disso, será feito um planejamento do escopo e investimentos necessários para conclusão da refinaria, e a avaliação econômica do projeto, conforme fato relevante divulgado pela petroleira.

De acordo com a Petrobras, os estudos serão conduzidos por um grupo de especialistas de ambas as empresas, com a participação de consultores externos. Uma vez quantificados os custos e benefícios do negócio, pretende-se formar uma joint venture (parceria), que será responsável pela conclusão do Comperj e pela operação da refinaria, com 80% de participação da Petrobras e 20% da CNPC.

O acordo também define a participação de 20% da CNPC no cluster de Marlim (concessões de Marlim, Voador, Marlim Sul e Marlim Leste), ficando a Petrobras com 80% de participação e se mantendo como operadora.

A Gazeta integra o

Saiba mais
petrobras

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.