ASSINE

Economia reage e ES cria 3.541 postos de trabalho em fevereiro

Resultado é o melhor para esse mês desde 2014. Saldo em 2019 já é de 6.595 vagas

Publicado em 25/03/2019 às 22h36
Carteira de trabalho: número de pessoas contratadas foi de 173.139 no país. Crédito: Fernando Madeira
Carteira de trabalho: número de pessoas contratadas foi de 173.139 no país. Crédito: Fernando Madeira

O mercado formal tem mostrado sinais de que a crise do emprego está ficando para trás. Em fevereiro, 3.541 postos de trabalho foram criados no Estado, segundo dados do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria do Trabalho, do Ministério da Economia.

O desempenho é o melhor para esse mês desde 2014. No ano, o Estado conseguiu abrir 6.595 vagas, número 7,7 vezes maior do que o saldo dos dois primeiros meses do ano passado, que foi de 857.

A reação no Espírito Santo ocorreu principalmente no setor de serviços, que fechou fevereiro deste ano com 2.757 novos trabalhadores contratados. A indústria de transformação foi outra área que puxou o emprego ao promover a abertura de 923 oportunidades.

A agropecuária (157), o segmento de extração mineral (145), a administração pública (115), os serviços industriais de utilidade pública (94) foram outros setores que apresentaram dados positivos. Mas o comércio e a construção civil amargam perdas no número de pessoas com carteira assinada. Somente o segmento comercial fechou 459 postos de trabalho. A construção civil teve baixa de 191 vagas.

PAÍS

No país, o Caged revelou também aquecimento da economia com o surgimento de 173.139 empregos formais em fevereiro. “Há sinal de que retomada de empregos será consistente em 2019. O Caged registrou o melhor resultado para fevereiro desde 2014, quando foram criados 260 mil empregos”, afirmou o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, ao acrescentar que a construção civil, serviços e atacado apresentaram recuperação importante de empregos. “A perspectiva é de que retomada de empregos se mantenha nos próximos meses”, disse.

O resultado de fevereiro ficou bem acima do intervalo das estimativas de analistas do mercado financeiro. As projeções eram de geração de 45.000 a 135.795 vagas, com mediana de 82 mil postos de trabalho.

O coordenador geral de estatísticas da Secretaria de Trabalho, Mário Magalhães, destacou que os resultados positivos, principalmente do setor de serviços, que abriu no Brasil 23.120, indicam a recuperação do poder de consumo da população. (Com Agência Estado)

ANÁLISE

Otimismo e reformas

Os dados do Caged apontam para um novo recorde na criação de empregos com carteira assinada no Espírito Santo. O saldo líquido de 3,5 mil novos vínculos representa o melhor desempenho para o mês de fevereiro desde que se iniciou a crise econômica em 2015. O avanço tem relação com ampliação de contratações em setores como comércio. Trata-se de confirmação do processo de recuperação da economia nacional e local. Esse crescimento guarda relação com a redução dos juros, mas principalmente com a melhora das expectativas de aprovação de reformas capazes de solucionar o problema fiscal do país, que favoreceu novos investimentos e contratações. Mas ainda é preciso que sejam geradas 57 mil novas vagas de trabalho no ES para se retornar à época pré-crise (de 2014).

Eduardo Araújo Economista

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.