ASSINE
Jornalista de A Gazeta desde 2008 e colunista de Política desde 2015. Publica aqui, diariamente, informações e análises sobre os bastidores do poder no Espírito Santo

César Colnago fica livre para ser apenas vice. E fazer campanha

Oficialmente, vice-governador não é mais ordenador de despesas no governo Paulo Hartung

Publicado em 02/01/2018 às 20h16
Colnago é cotado para ser candidato ao governo do Estado no lugar de Hartung nas próximas eleições. Crédito: Arquivo
Colnago é cotado para ser candidato ao governo do Estado no lugar de Hartung nas próximas eleições. Crédito: Arquivo

O vice-governador César Colnago (PSDB) não é mais ordenador de despesas de absolutamente nada no governo Paulo Hartung (PMDB). A partir desta terça-feira (2), a Vice-Governadoria não tem mais nenhum órgão nem coordenadoria subordinada a ela. Na prática, isso significa que Colnago agora está livre para ser "apenas" vice-governador (substituindo Hartung em caso de ausência do titular). E, logicamente, para fazer política pelo Espírito Santo.

Colnago é cotado para ser candidato ao governo do Estado no lugar de Hartung nas próximas eleições. No último mês de novembro, o vice-governador foi eleito presidente do PSDB no Espírito Santo.  

AS MUDANÇAS

Na edição desta terça-feira (02), o Diário Oficial do Estado publicou uma lei complementar aprovada pela Assembleia Legislativa no fim de 2017 e, ainda, três decretos assinados pelo governador Paulo Hartung que deixam a Vice-Governadoria praticamente "pelada", transferindo para o guarda-chuva de outras secretarias alguns setores que antes ficavam sob o comando de Colnago. 

A Lei Complementar nº 883 transferiu a Coordenação Estadual dobre Drogas para a estrutura da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, comandada pelo secretário Julio Pompeu (PDT). Esse órgão funcionava na Vice-Governadoria desde fevereiro de 2015. 

ENXUGAMENTO TOTAL

O primeiro da série de decretos realoca para a Secretaria de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social outras três unidades administrativas que antes ficavam sob o guarda-chuva do vice-governador: a Coordenação Estadual de Articulação de Políticas Intersetoriais, a Gerência de Articulação de Projetos Sociais Intersetoriais e a Gerência de Capacitação, Articulação e Mobilização.

O segundo decreto transfere para a Secretaria de Direitos Humanos a Gerência de Municipalização e Divulgação da Política Sobre Drogas e o Núcleo Especial de Estudos, Pesquisas e Avaliação.

Já o terceiro decreto assinado por Hartung extingue da estrutura organizacional básica da Vice-Governadoria a Coordenação Estadual de Relações Institucionais e o Núcleo Especial de Municipalização de Políticas Sobre Drogas.

Anteriormente, Hartung já havia remanejado outros programas antes incubados na Vice-Governadoria. O programa Ocupação Social, carro-chefe do governo no combate à violência, foi transferido para a Secretaria de Direitos Humanos. O programa Criança Feliz Capixaba chegou à Vice-Governadoria em fevereiro de 2017, mas também já saiu da alçada de Colnago.

O QUE SOBRA?

De hoje em diante, a Vice-Governadoria passa a operar com a estrutura mais básica possível, apenas com o gabinete do vice-governador e com as assessorias de gabinete e de imprensa.

A coluna tentou repercutir as mudanças com o próprio César Colnago, mas foi informada por sua assessoria que ele está de férias até a semana que vem. 

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
paulo hartung

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.