ASSINE
Colunista do jornal A Gazeta e do Gazeta Online

Sete cidades concentram 70% dos homicídios no Espírito Santo

Em 2017, ano da greve da Polícia Militar, o ES teve 1.403 assassinatos contra 1.181 em 2016, um crescimento de 18,8%

Publicado em 03/01/2018 às 19h12
Policiais civis fazem a perícia em homicídio ocorrido na Serra, o município mais violento do Estado no ano passado. Crédito: Gazeta Online
Policiais civis fazem a perícia em homicídio ocorrido na Serra, o município mais violento do Estado no ano passado. Crédito: Gazeta Online

Apenas sete dos 78 municípios do Estado concentraram 70% dos homicídios registrados no ano passado no Espírito Santo: Serra, Cariacica, Vila Velha, Vitória, Linhares, São Mateus e Aracruz. Em 2017, ano da greve da Polícia Militar, o ES teve 1.403 assassinatos contra 1.181 em 2016, um crescimento de 18,8%.

Bolsões de violência

A Região Norte teve o maior crescimento desse tipo de crime no ano passado. Enquanto em 2016 houve 382 homicídios, em 2017 aconteceu um salto: 476 assassinatos, crescimento de 24%. Na Região Metropolitana, o aumento foi de 20%: 661 assassinatos em 2016 e 799 em 2017.

Onde caiu

A boa notícia veio da Região Sul, que teve queda de 7,2% de homicídios: 138 em 2016 e 128 no ano passado.

Por 100 mil

Depois de um ano de queda, o número de homicídios por grupo de 100 mil habitantes voltou a subir no ES. Em 2016, a relação era de 29,7/100 mil, mas no ano passado o índice chegou a 34,9/100 mil, ligeiramente inferior a 2015 (35,4/100 mil).

Derretendo

De tão quente, só falta a essência de eucalipto para o Biblioteca Municipal de Vila Velha, que funciona no prédio Titanic, se transformar numa autêntica sauna. Por sinal, a cultura está sufocada na cidade.

É popular

Daniel da Açaí (PSDB) pode estar na iminência de perder o mandato de prefeito de São Mateus, mas na cidade ele ainda é rei. Nas ruas, a população, principalmente os mais pobres, não cansa de assediá-lo e cumprimentá-lo.

Não vai?

Por falar nisso, está sendo veiculado um vídeo institucional da Prefeitura de São Mateus, sobre o Réveillon e o Carnaval em Guriri, com aquelas músicas baianas cujo bordão é “eu não vou embora”. Vai ou não, TRE?

PT mobilizado

O PT capixaba continua tentando lotar um ônibus para acompanhar o julgamento de Lula no próximo dia 24 em Porto Alegre (RS). Segundo o presidente estadual, João Coser, certo mesmo é uma vigília com ato político-cultural em Vitória, provavelmente na Praça Oito. Começa às 8h30 sem hora para terminar.

Milagre sazonal

O dinheiro reapareceu. Justamente em 2018, ano de eleições.

Contagem regressiva

Faltam 30 dias para o Carnaval de Vitória.

Molhou

A Prefeitura de Itapemirim lamentou, em comunicado oficial, que a chuva do dia 31 de dezembro molhou os fogos de artifício e, por isso, o show pirotécnico seria “simbólico” e “com quantidade reduzida de fogos”.

Torrou

Mas a licitação para a festança não teve nada de simbólica – pelo contrário, foi dura a realidade. O show pirotécnico e os fogos do Réveillon custaram R$ 242 mil ao contribuinte. Faça chuva, faça sol.

Fim de uma era

Fechou as portas ontem, na Av. Marechal Campos, em Vitória, a loja de beleza que já teve caravanas na porta vindas do interior do Estado, Minas e Bahia. Agora, só funcionam as filiais de Vila Velha e Serra.

O que que a Bahia tem

Moqueca de badejo para dois: R$ 80; moqueca de camarão VG para dois: R$ 100. Preços honestos ainda existem. Mas em um restaurante na orla de Caravelas, Sul da Bahia, onde foi almoçar ontem um leitor da coluna.

Ano nova, seca nova

O governo comemorou e disse que com a captação do Rio Reis Magos, a água iria jorrar na Serra. Mas faltou combinar com os reis: na noite de Réveillon, faltou justamente água em Nova Almeida.

Burrice do colunista

Especialistas em montaria da coluna advertem: a foto que foi publicada ontem é de um cavalo, e não de um burro. Perdão a todos os envolvidos.

Cansando

Insatisfeito, o deputado federal Givaldo Vieira está admitindo a pessoas próximas que pode sair do PT.

Onde está o dinheiro?

Alta fonte da Prefeitura de Vila Velha está sonhando alto. Ao ler ontem na manchete de A GAZETA que o Espírito Santo vai receber mais de R$ 2,5 bilhões com receitas de petróleo, suspirou: “Quem sabe agora o Estado pague à prefeitura os R$ 150 milhões que deve a Vila Velha”.

Onde está o dinheiro? 2

Segundo a fonte, esse recurso refere-se a uma ação vitoriosa da prefeitura, contra o Estado, já julgada no STJ. A ação, apresentada há cerca de 10 anos, contesta cálculos de royalties pagos pelo governo à prefeitura.

Secreta e suja

 

Leitora achou a ex-Praia Secreta, em Vila Velha, bem sujinha, com muito plástico

na água. Claro que a culpa não é da água.

Alô, nacionalistas!

O petróleo é nosso e o prejuízo também?

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
linhares serra

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.