ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:
É jornalista

Crescimento capixaba vai superar o do país em 2019

No próximo ano, a economia capixaba deve crescer acima da média nacional

Publicado em 02/12/2018 às 21h22

O ano de 2019 começa com a melhor expectativa de crescimento do PIB do Brasil desde 2014, quando ficou estagnado em 0,1%, seguindo-se a terrível recessão. As estimativas para o ano que vem variam entre 2,5% e 2,8%.

Já a projeção para o PIB do Espírito Santo em 2019 é a mais alta desde 2015, quando recuou 1,1%, antes da desastrada queda de 9,3% em 2016. No próximo ano, a economia capixaba deve crescer acima da média nacional. Portanto, mais de 2,8%.

Não se trata de cálculo bairrista. Esse cenário consta em documento elaborado pelo Bradesco, com base em dados do IBGE. O Sudeste “deve apresentar crescimento de 2,8% em 2019, em linha com a média brasileira”. Já o Espírito Santo “registrará expansão acima da média nacional”. Portanto, superior a 2,8%, assinala o texto, embora não arrisque o percentual exato.

Eduardo Araújo, Economista

O crescimento esperado baseia-se no otimismo em relação à reforma da Previdência, criando clima favorável, e nas commodities, muito presentes no Estado

O estudo destaca no PIB capixaba o saldo positivo do emprego formal (3,3 mil vagas, até novembro), a ampliação do consumo de bens e serviços, e os avanços nas indústrias de mineração e siderurgia.

Também ressalta que “o aumento dos investimentos na exploração e produção de petróleo beneficiará a indústria no Espírito Santo”. Mas, faz uma observação: “após o recorde da produção de café neste ano, para 2019 é esperada redução do volume, em função da bienalidade característica da cultura”.

Nove vezes

A dinâmica capixaba está muito melhor do que a nacional. No segundo trimestre deste ano (dado mais recente), o PIB do Espírito Santo cresceu 1,8%, nove vezes mais do que a média no país, 0,2%. Foi o terceiro aumento consecutivo do indicador no Estado, e o maior dos últimos cinco trimestres.

Carro-chefe

Não foram as commodities, símbolos da nossa economia, que brilharam no avanço trimestral. De acordo com o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), o maior impulso deve-se ao comércio varejista ampliado (que inclui veículos, motos, peças e material de construção), com alta de 3,6%. O avanço da indústria foi modestíssimo, 0,5%.

Projeções

Com os resultados do segundo trimestre e do primeiro (crescimento de 0,6%), o IJSN estima que o PIB capixaba encerrará 2018 com crescimento anual próximo a 1,8%. Se confirmado, ficará acima da média nacional, calculada em torno de 1,2%. Significa um bom carregamento estatístico para o Estado embalar ao longo de 2019.

Confirmação

O Índice de Atividade Econômica Regional do Espírito Santo (IBCR-ES), apurado pelo Banco Central, confirma que o ritmo capixaba está mais acelerado do que o nacional.

Diferença

No acumulado nos primeiros oito meses de 2018, comparado ao mesmo período do ano passado, o IBCR-ES teve variação positiva em 2,21%, enquanto o índice do país não passou de 1,28%.

Diferença 2

Já no acumulado em 12 meses, o IBCR-ES apresenta aumento de 1,91%, superior à média nacional de 1,5%. Isso ocorre graças ao consumo maior no mercado capixaba.

Liderança

Assim como o Instituto Jones dos Santos Neves, IBCR-ES também aponta o varejo ampliado como a principal força da expansão estadual. Cresceu 14,6% de janeiro a agosto. As vendas de veículos, motos e peças dispararam: alta de 27%.

Devagar

Hoje, o fator mais preocupante na economia capixaba é a marcha à ré da indústria. A produção física acumulada em 2018, até setembro, está 2,7% abaixo da registrada no mesmo período do ano passado. A pior situação é a do setor de transformação: -4,2%.

DIVIDAS PARCELADAS EM ATÉ 60 VEZES E SEM JUROS

Começa amanhã, dia 4, o Feirão Recupere seu Crédito, promovido pela Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDLs) da Grande Vitória. O evento, que vai até o próximo sábado, oferecerá condições especiais na negociação de dívidas, como perdão de juros e multas, descontos, e parcelamento do saldo devedor em até 60 meses.

O mutirão será realizado na Arena Vitória, em Bento Ferreira. Aproximadamente 55 empresas estarão disponíveis para dialogar com o consumidor e apresentar propostas para quitação dos débitos.

Entre as companhias participantes estão o Banestes, a EDP Escelsa, a Cesan, a Dacasa Financeira, o Cartão Avista, a Caixa, o Agoracred, além das firmas representadas pelas CDLs, como o Boticário, a Metron Engenharia, a Itapuã Calçados, entre outras.

O gerente de negócios da CDL Vitória, Geraldo Calenzani, explica que o cliente fará uma consulta do CPF para conhecer todos os débitos e assim pegar senhas de atendimento específicas para cada credor.

A entrega de senhas será feita sempre de 9h às 16h de cada dia. Todos os consumidores com senha serão atendidos, mesmo após o fechamento dos portões.

Para conseguir a negociação, os endividados deverão levar documentos como o CPF, identidade ou outro documento de identificação original com foto. Após a primeira triagem, o consumidor será encaminhado para o estande da empresa credora para a avaliação. Os atendimentos serão tanto para pessoas físicas como para pessoas jurídicas com dívidas em atraso.

O feirão acontece em meio a uma alta da inadimplência no Estado. Segundo as CDLs, mais de 686 mil consumidores capixabas estavam com o nome sujo até outubro, o que representa um crescimento de 5% em comparação ao mesmo período do ano passado.

A Gazeta integra o

Saiba mais
capixaba economia espírito santo capixaba espírito santo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.