ASSINE

Campanha eleitoral ao Planalto começa com indefinição

Candidatos já podem pedir votos; Haddad visitará Lula, preso em Curitiba e inelegível segundo a Lei da Ficha Limpa

Publicado em 16/08/2018 às 07h32
Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Geraldo Alckimim (PSDB), Marina Silva (REDE), Jair Balsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meireles (MDB) e Ciro Gomes (PDT)  durante o debate Band 2018 com os candidatos a presidencia da republica. Crédito: AP Foto/THIAGO BERNARDES
Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Geraldo Alckimim (PSDB), Marina Silva (REDE), Jair Balsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meireles (MDB) e Ciro Gomes (PDT) durante o debate Band 2018 com os candidatos a presidencia da republica. Crédito: AP Foto/THIAGO BERNARDES

A campanha eleitoral começa oficialmente nesta quinta-feira, data a partir da qual os 13 candidatos a presidente da República estão autorizados pela Justiça Eleitoral a ir às ruas para pedir votos.

O quadro político é de incerteza. Os votos brancos, nulos e os indecisos lideram a disputa, com 34% nos cenários sem o ex-presidente Lula, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada em junho.

Essa indefinição é agravada pela decisão do PT de registrar a candidatura de Lula. Ele cumpre os requisitos da Lei da Ficha Limpa e deve ser barrado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Preso desde o dia 7 de abril, o ex-presidente foi condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro, no processo do tríplex do Guarujá (SP).

Vice formalizado de Lula e seu provável substituto por causa da condenação do petista e sua inelegibilidade, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) participa hoje de um debate promovido pelo movimento “Todos pela Educação”, em São Paulo. Ele também visitará o ex-presidente, que está preso em Curitiba.

Líder nas pesquisas nos cenários sem Lula, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, não terá agenda pública, de acordo com sua assessoria. Já Marina Silva (Rede), segunda colocada, começa o dia visitando um ambulatório médico que funciona nos fundos de uma igreja católica, em São Paulo.

O presidenciável do PDT, Ciro Gomes, participará de um ato político em Irajá, na Zona Norte do Rio, reduto eleitoral do candidato de seu partido ao governo do estado, Pedro Fernandes. O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, e Alvaro Dias (Pode) participam de um evento em São Paulo do grupo “Mulheres do Brasil”.

Com a mudança na legislação eleitoral, a campanha ficou mais curta e terá 52 dias no primeiro turno. O tempo de exposição no horário eleitoral gratuito de rádio e televisão será ainda menor — começa em 31 de agosto.

Esta também será a primeira eleição presidencial sem doações de empresas. Os candidatos serão financiados por um fundo eleitoral público e por contribuições de pessoas físicas.

No infográfico abaixo, conheça os partidos e coligações e o patrimônio que cada um declarou. Também estão listados os principais desafios políticos dos candidatos.

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
eleições 2018

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.