home

Cada análise ajuda o capixaba a avaliar e, juntos, construirmos um ES democrático.

Você atingiu seu limite de matérias.
Assine e tenha acesso ilimitado

Assine

Já é assinante? Faça seu login aqui

Flamengo é atropelado pelo Independiente del Valle na Libertadores

Rubro-Negro jogou muito mal e perdeu por 5 a 0 para os equatorianos. O Fla se mostrou desorganizado e se tornou presa fácil no jogo

Publicado em 17/09/2020 às 23h05
Flamengo não viu a cor da bola e foi presa fácil para o Independiente del Valle. Crédito: Independiente del Valle/Divulgação

Em seu retorno à Copa Libertadores, o Flamengo voltou a apresentar atuação irregular e foi massacrado na noite desta quinta-feira (17). Os atuais campeões foram goleados pelo Independiente Del Valle pelo contundente placar de 5 a 0, na altitude de 2.850 metros de Quito, no Equador. 

Cauteloso demais na cidade equatoriana, o Flamengo oscilou mais uma vez, como vinha fazendo no Brasileirão. Mais preocupado em se defender do que em atacar ao longo da maior parte do jogo, a equipe brasileira abusou dos erros no meio-campo, falhou na marcação e esqueceu da criatividade e da intensidade que lhe são tão comuns desde o ano passado. Como consequência, fez provavelmente sua pior partida do ano.

Diante destas fragilidades, o Fla se tornou alvo fácil do bem armado Independiente, que vive grande fase na temporada. Desde a retomada do futebol, após a paralisação causada pela pandemia, os equatorianos não perderam. Agora soma dez jogos de invencibilidade, com sete vitórias e três empates, com 25 gols marcados.

Com o tropeço, o Fla figura agora no segundo lugar do Grupo A, com três pontos. Está atrás justamente do rival equatoriano, que soma nove pontos e aproveitamento de 100% até agora. Junior Barranquilla e Barcelona de Guayaquil, os outros dois times da chave, ainda se enfrentam nesta quinta-feira. Ambos ainda não pontuaram.

Pela quarta rodada do Grupo A, o time brasileiro enfrentará o Barcelona na terça da próxima semana, fora de casa.

O JOGO

Com Diego no meio-campo e sem Bruno Henrique, o Flamengo mostrou no primeiro tempo a mesma cautela com que Domènec Torrent escalou a equipe. A altitude equatoriana, claro, também influiu na postura. Mais concentrado na defesa e no meio-campo, o time carioca propôs pouco jogo na etapa inicial.

Assim, abriu espaço para o time da casa, com mais iniciativa. O Independiente exibia melhor ritmo de jogo, trocava passes com mais facilidade e envolvia o Flamengo. Com o passar do tempo, o domínio foi ficando claro, até que se traduziu em vantagem no placar. Foi aos 39, quando Moisés Caicedo fez linda jogada, com um corta-luz no início do lance, antes de completar para as redes.

Do outro lado, Gerson e Diego faziam partida apática, sem qualquer criatividade. Era evidente a preocupação dos jogadores do Flamengo com o eventual desgaste físico de atuar na altitude. Tolhido, o time brasileiro passou mais tempo assistindo ao rival do que buscando o ataque.

A situação, que já era ruim, se tornou ainda mais difícil no segundo tempo. Domènec até tentou, ao trocar Diego por Bruno Henrique. Mas, antes mesmo do atacante tocar na bola, o Independiente chegava ao segundo gol. Logo aos três minutos, Preciado fez bela jogada, deixando três marcadores para trás e tabelando com Murillo. De fora da área, bateu firme e colocado, no ângulo de César.

A vantagem dos equatorianos foi ampliada nove minutos depois, desta vez com Gabriel Torres. Em um contra-ataque sem reação do Fla, ele investiu pela esquerda, cortou para dentro e caprichou no chute, no canto esquerdo do goleiro brasileiro: 3 a 0.

Numa última tentativa de reduzir o estrago, Domènec mudou o setor ofensivo da equipe brasileira, com Thiago Maia, Michael e Pedro em campo. Não foi o suficiente para sequer conter o ímpeto dos anfitriões.

Aos 35, o Independiente transformou a derrota em goleada num lance sintomático do domínio dos anfitriões. Beder Caicedo iniciou a jogada no meio-campo e, mesmo sem imprimir velocidade, avançou com facilidade pela defesa brasileira e cruzou com tranquilidade para a área. Sánchez surpreendeu a zaga com um toque de calcanhar para as redes.

Antes do apito final, o time da casa ainda teve tempo para anotar o quinto gol, quase em ritmo de treino. Aos 46, Beder Caicedo finalizou de fora da área, sem maior resistência da defesa carioca, e acertou o canto direito de César.

Libertadores flamengo flamengo