A Influencer Rayane Souza é uma das vozes no movimento Plus Size Capixaba. Já representou o Estado em diversos concursos de beleza Plus Size levando a bandeira do empoderamento e da auto estima da mulher Plus

"Gosto de mulheres gordas, mas meus amigos tiram sarro de mim"

Rayane Souza explica que esse tipo de frase é comum entre homens que gostam de mulheres gordas e acrescenta que lidar com esse tipo de constrangimento é muito comum

Publicado em 19/02/2020 às 15h41
Atualizado em 19/02/2020 às 15h43
O preconceito por parte dos amigos é comum entre os homens. Crédito: divulgação
O preconceito por parte dos amigos é comum entre os homens. Crédito: divulgação

Toda mulher gorda passou por isso. Lidar com um parceiro que sofre pressão dos amigos por estar se relacionando com uma mulher gorda não é fácil. E, o pior: muitas vezes a consequência disso é ser escondida pelo próprio namorado ou ficante. Triste, né? Sim, mas para a mulher que permite que isso acontece.

Homem gostam, sim, de mulheres gordas! Por que não gostariam? Infelizmente isso ainda é um tabu. Meu namorado, por exemplo, é um homem que sempre se relacionou com mulheres gordinhas, e sempre teve consciência dessa atração, mas escondeu ou disfarçou suas preferências por muito tempo, principalmente na adolescência por conta dos amigos.

Pra começar, a gente não deveria iniciar essa conversa separando mulheres gordas e mulheres magras. Vamos falar de mulheres! Sentir atração por uma mulher gorda não significa absolutamente nada de diferente do que sentir atração por uma mulher magra. Ok?

Claro que identificamos aqueles que possuem de fato um fetiche e uma curiosidade em se relacionarem com mulheres gordas, mas este não é o objeto da nossa conversa de hoje. Mas sim aqueles que desde sempre se sentiram atraídos de maneira natural e por conta disso viraram alvos de chacota.

Por que a sociedade condena ou aponta esse tipo de relacionamento como algo “ anormal”, “ peculiar” ou enquadra em uma exceção? Simples, porque a mulher gorda  e o homem  gordo não são vistos como indivíduos normais que, assim como qualquer outra pessoa, também amam, se apaixonam, sentem prazer...

O desejo e o sexo sempre estão ligados a uma imagem padronizada de beleza, corpo, sensualidade, e isso jamais seria associado à um corpo gordo. Confesso que imaginar uma abordagem entre amigos onde se questiona a “preferência” do amigo em relação à mulher gorda, me assusta. Tornar isso um problema, um julgamento é muito errado.

O homem provavelmente não vai saber responder da maneira que os amigos esperam porque, pra ele, sempre foi algo natural. Ele  não enxerga anormalidade alguma nisso. Simplesmente porque, de fato, não há nada de anormal nisso.

Eu vejo problema quando essa pressão e esses questionamentos diversos interferem na relação dos amigos, chegando a um ponto em que o homem passa a esconder sua parceira. E aí entramos em mais uma reflexão: quão grave é nos privarmos emocionalmente por conta da opinião alheia?

Será que vivemos nessa sociedade extremamente tóxica, em que não podemos desfrutar do amor livre e genuíno? Eu serei esse homem? Esse indivíduo que me privo de amar e viver todas as sensações que uma relação a dois pode me trazer, por conta de uma pressão social?

O preconceito existe, e contra ele lutamos todos os nossos dias. Mas o que não podemos deixar existir é o medo. Medo de amar, medo de assumir... Acredito que muitas vezes anulamos nossas prioridades e nossa essência ao ponto de esquecermos o que vale a pena. O que vem em primeiro lugar é nossa felicidade.

Sentir atração por mulheres gordas não te torna um homem diferente, porque essas mulheres não são diferentes! Somos apenas mulheres, que também merecem ser amadas, cuidadas e, principalmente, respeitadas.

Quanto às chacotas, que tal reavaliarmos essas amizades? Será que todas as pessoas que estão ao nosso redor e no nosso ciclo de amigos realmente querem nosso bem-estar e torcem pela nossa felicidade? E, homens, não escondam suas parceiras, não tenham medo de amar! Segurem as mãos de suas parceiras e vivam o que a vida tem a oferecer a todos nós.

E você, amigo, não precisa questionar a preferência do seu colega, mas questionar o seu próprio caráter.

A Gazeta integra o

Saiba mais